Epson TX420W – Sem fios e sem dores de cabeça –

Ok, eu quase não uso impressora[bb]. E é exatamente por isso que a ação imprimir para min precisa ser extremamente simples. Não era, toda vez tinha que ligar minha Epson[bb] TX420w no notebook para imprimir.

Cansado de procurar o cabo, resolvi procurar para ver se era muito difícil fazer essa impressora funcionar por wifi, e para minha surpresa, não é.

Você encontrará os pacotes[bb] necessários em aqui.

Para instalar, use ferramentas[bb] como o gdebi ou o yum localinstall para resolver as dependências:

Ubuntu/Debian

 # gdebi pkg.deb

RHEL6/CENTOS/FEDORA

 # yum localinstall pkg.rpm

Espero que esse post faça alguém ficar tão feliz quando eu. Realmente não ter que procurar o cabo[bb] da impressora é uma maravilha.

Assinando documentos com LibreOffice

LibreOffice e seu trabalho com certificados digitais

Quando aplicamos a ideia de assinatura digital em um documento, um checksum é gerado a partir do conteúdo do seu documento juntamente com sua chave pessoal. Esse checksum e sua chave pública são anexados ao documento assinado.

Para que o LibreOffice consiga disponibilizar a opção de assinatura digital em documentos é necessário que uma variável especifica seja configurada. De acordo com a documentação oficial, essa variável, deve ser apontada para o perfil mozilla do seu navegador, aonde sua chave foi armazenada pela a autoridade certificadora.

Sendo assim a forma mais simples de configurar o LibreOffice para assinar seus documentos é, através do seu navegador Firefox, requisitar um certificado em uma autoridade certificadora e, em seguida, instruir o LibreOffice para buscar o certificado no perfil do navegador.

 

Mãos na massa

 

Gerando o certificado

Para que possamos assinar qualquer documento, precisamos primeiro ter um certificado válido que pode ser emitido por uma das diversas autoridades certificadoras como: Comodo, StartSSL, Cacert.

Nesse artigo, vou mostrar passo a passo como gerar seu certificado pela Cacert Community.

  • Utilizando o navegador Mozilla Firefox, acesse o site:
  • Na direita clique em Join;
  • Onde será exibida a tela de cadastro;

 

 

      • Preencha-a corretamente;
      • Clique em next;
      • Uma tela de confirmação irá aparecer requisitando que você verifique o seu e-mail para continuar o procedimento;
      • Após confirmação, faça login no site da Cacert;
      • Do lado direito, clique na opção certificados de cliente, e na opção Novo;
      • Prossiga com as instruções do site, que irá lhe fazer algumas perguntas e gerar um certificado para você, seguido de um e-mail de confirmação, para que você consiga instalar o certificado no seu navegador.

Com o certificado instalado, vamos apenas confirmar se ele já está disponível nos certificados do nosso navegador Firefox. Para isso entre em:

Editar → Preferências → (tab)Avançado → (sub-tab)Criptografia → Certificados

Verifique na aba Seus certificados, que você tem um certificado disponível.

 

Configurando o meio de acesso do LibreOffice ao certificado

Com o certificado em mãos, e para possibilitar que os usuários assinem seus documentos, precisamos fazer com que o LibreOffice consiga acessar esse certificado. Para isso, devemos configurar a variável MOZILLA_CERTIFICATE_FOLDER.

 

  1. Descubra qual é o nome do seu perfil do mozilla, isso pode ser feito da seguinte forma:
    1. Execute o seguinte comando$ ls ~/.mozilla/firefox
    2. Note que o diretório do perfil deve ser semelhante a: gfrjrq0k.default
  2. Com esse nome em mãos precisamos configurar a variável da seguinte maneira:
    1. Execute o comando:$ export MOZILLA_CERTIFICATE_FOLDER=”~/.mozilla/firefox/<profile-name>/”
      1. Substitua <profile-name> pelo nome do seu perfil, conseguido no item anterior;
    2. Para que essa alteração não seja perdida, é bom que você adicione-a no seu arquivo ~/.bashrc
      1. Execute o comando:$ echo “export MOZILLA_CERTIFICATE_FOLDER=~/.mozilla/firefox/<profile-name>/” >> ~/.bashrc

Com essas configurações efetuadas, o LibreOffice já deve ser capaz de utilizar o certificado emitido pela CAcert para assinar os Documentos.


Assinando o documento pelo LibreOffice

Com todos os passos feitos agora basta abrir o seu documento e assinar. Para isso

  • Clique em: Arquivo → Assinaturas Digitais ;
  • Em seguida no botão: Assinar Documento;
  • Agora basta selecionar o certificado exite para assinatura;

 

  • Certifique-se que a seu certificado foi escolhido;
  • Clique em close;

Repare que seu documento foi assinado na barra inferior do LibreOffice.

 

 

Símbolos possíveis para assinatura digital

 

Assinatura válida;
Assinatura válida porém o certificado não pode ser validado.Ou A assinatura e o certificado estão OK, mas o documento não está assinado em todas as partes;
A assinatura está inválida;

Quando assinamos documentos ou recebemos documentos assinados, temos três ícones que podem aparecer:

 

Cópia de segurança do certificado

Quando geramos o certificado, vimos que ele ficou armazenado no gerenciador de certificados do nosso navegador, ou seja, não temos um arquivo para guardar e conseguir reutilizar, se perdermos o arquivo de certificados do navegador.

Para efetuarmos uma cópia de segurança, basta exportar o certificado diretamente do gerenciador de certificados do Firefox. Para isso:

 

  1. Para salvar um cópia do certificado, no Firefox, entre em
  2. Editar -> Preferências -> (tab)Avançado -> (sub-tab)Criptografia → Certificados.
  3. Nesse ponto será apresentado o gerenciador de certificado que classifica os certificados em: Seus, de Pessoas, Servidores, Autoridades e outros. O certificado emitido está na tab “Seus certificados”
  4. Clique sob o certificado e em seguida, clique em detalhes, onde há uma opção de export.
  5. Salve-o em um lugar conveniente
  6. Não o perca !!!!

 

Referências

http://help.libreoffice.org/Common/About_Digital_Signatures – 18/03/2011

http://help.libreoffice.org/Common/Digital_Signatures – 18/03/2011

http://wiki.services.openoffice.org/wiki/How_to_use_digital_Signatures – 18/03/2011

http://help.libreoffice.org/Common/Applying_Digital_Signatures/pt-BR – 18/03/2011

http://wiki.services.openoffice.org/wiki/Certificate_Detection – 18/03/2011

 

 

 

Em busca de Desktop Perfeito

Faz pouco tempo que resolvi testar o gnome-shell. Li algumas coisas aqui, outras ali. E seguindo alguns passos escritos pelo Flamarion, instalei.

O grande problema é que fui testando, testando e ele ficou. Estou gostando muito do meu novo  “Ambiente de trabalho”, porem existem algumas coisas que eu gostaria de ter e ainda não tenho.Um exemplo o Gerenciador de Tempo do gnome – o Hamster. Não existe applet dele para o gnome-shell.

Enquanto eu não acho uma forma de rodar o Hamster, aproveitei para trocar o meu gerenciador de arquivos padrão para Dolphin. É isso mesmo. !!!

Sei que não é muito comum mas existem coisas no Nautilus que realmente não me deixam feliz. Então segue a dica:

Para trocar o Nautilus por qualquer outro gerenciador de arquivos edite esse dois arquivos:

nautilus-computer.desktop

nautilus-folder-handler.desktop

Mude as seguintes linhas adequando o seu editor favorito:

TryExec=nautilus
Exec=nautilus –no-desktop %U

No meu caso, ficou assim:

TryExec=dolphin
Exec=dolphin %U

Tirei mais ou menos a idéia de como fazer isso aqui. =D

[]’s

Configurando a placa Nvidia GeForce G210M – Debian Squeeze

Mais uma vez,

Eu sempre fujo de notebooks com placa de video avantajadas, mas como tinha gostado bastante desse sony[bb], acabei por comprar ele mesmo assim. Sem nenhuma sombra de dúvida deixei o módulo da nvidia padrão(nv) em funcionamento, afinal, jogos[bb] e outras coisas não estão dentro do meu plano de tempo. Porem, tive uma ligeira curiosidade de testar o gnome-shell, e veio então o meu pequeno problema.

Bom, como muitos já devem ter percebido, fazer a placa Nvidia GeForce[bb] G210M funcionar até mesmo no Ubuntu está dando dores de cabeça avantajadas. Resolvi esse problema depois de alguns minutos lendo o post de um cara bem objetivo. Vamos lá, replicarei a idéia em português.

Primeiro, instale a ultima versão disponível do driver da nvidia disponibilizada aqui.

O por algum problema estranho, o módulo da nvidia[bb] não consegue detectar o display interno. Então o que temos que fazer é: capturar o arquivo de EDID do Windows, e dar ele para o xorg conseguir detectar o display da maneira adequada.

Bom, o meu grande problema aqui, é que eu não mantive meu Windows[bb] instalado, é claro!!! Tive que buscar uma boa alma que publicou o arquivo EDID de um notebook de uma série muito próxima a minha. Mas para quem tem Windows ainda é possivel extrair esse arquivo com programas como o softMCCS.

Basicamente o que tive que fazer foi editar o xorg.conf gerado pelo instalador da nvidia e adicionar essas duas linhas no meu xorg.conf, dentro da Section Device.

Option            “ConnectedMonitor”   “DFP-0”
Option            “CustomEDID”          “DFP-0:/etc/X11/sony-edid.bin”

É isso, estou com meu gnome-shell funcionando. =D

Malditas placas de video que não dizem bom dia.

[]’s