O que os olhos não veem o bolso não sente

Queria postar isso faz um bom tempo, para falar a verdade desde que voltei da Australia[bb]. Qual seria a reação do Brasileiro se todos os impostos[bb] que pagamos ao invés de serem implícito, fossem explícitos? Ta, você deve estar se perguntando, como assim?

Quando fui para a Austrália, notei que toda a loja[bb] apresenta na prateleira dois valores, o valor real do produto, e o valor do imposto que deve ser somado ao produto finalizando em seu preço total. Esse habito, de somar o imposto diariamente seria uma forma muito simples de apresentar para o Brasileiro que ele paga impostos caríssimos e nós sofremos um abuso[bb] grande dos empresários. Por exemplo:

Como vocês podem observar, essa é uma daqueles cupons fiscais que mostram os preços dos produtos após as compras[bb] nas lojas, só que se você parar para notar, é uma nota que traz uma importante diferença por que apresenta claramente o imposto pago nessa compra.

Nesse caso é possível notar exatamente quanto imposto foi gerado ao se tomar um café na 7th avenida no Brooklyn em Nova York[bb]. Lá é aplicada uma taxa de 8,875% em tudo o que é consumido pela população, nesse caso o café custava $2.45 e com a taxa o consumidor pode ver que pagou exatos 0,22cents de dollar através da transparência da nota fiscal. O café no final saiu por $2,67, que com certeza não é um preço exorbitante para um café.

A transparência nessas situações é muito benéfica. No Brasil isso não é inviável, e quem tem conversado com pessoas mais experientes no assunto, já deve ter ouvido o nome de Dilson Funaro, que tentou e foi vetado, de tabelar e regulamentar o preço pelo Brasil inteiro. Penso que o governo em si, não teria problema algum em obrigar o empresário a mostrar a quantidade de imposto que é paga por um produto tanto na prateleira[bb], quanto na nota fiscal. Acredito fortemente, que se isso acontecesse o Brasileiro realmente se assustaria com o preço praticado pelo próprio empresário, e desculpem-me quem já estiver pensando na lei[bb] da oferta e da procura, isso vai alem do meu ponto principal, que é transparência, mas a procura é constante e infinita, sempre as pessoas estarão dispostas a comprar, o que garante que a oferta verdadeira nunca chegue nas mãos dos Brasileiros, somente “ofertas[bb]” exorbitantes que respeitem as regras do cartel em que o Brasileiro foi criado.

2 comentários em “O que os olhos não veem o bolso não sente

  • 26 de maio de 2012 em 23:04
    Permalink

    Vi isso direitinho lá no Canadá e achei super foda.
    Só que aqui não pega cara, é mais interessante para sei lá quem manter tudo “debaixo dos panos” por aqui.
    Obviamente tudo tem mudado muito de uns 10 anos pra cá, é notório que melhorou muito em muitos aspectos, mas uma coisa importantíssima não muda no nosso Brasil, a tal da “Falta de transparência”.
    E não se engane se você acha que eu to falando unicamente dos nossos governos, não mesmo, o Brasileiro é assim…pelo menos é isso que eu penso.
    Tenho fé que vai mudar, tenho mesmo, mas não sei se meu filho ou meu neto veram tal mudança, o Flamarion eu tenho certeza que não verá.
    E sobre o post anterior, a minha opnião é a seguinte:
    Se EU tivesse uma oportunidade sequer de viver no Canadá com minha família, não pensaria 2 vezes, e já que você já pensou em vir pra Brasília, obviamente é muuuuuuuuuito diferente, eu creio que você deveria pensar em ir em frente com o que quer que queira fazer no país que achar melhor.
    Um abraço meu camarada.

  • 30 de maio de 2012 em 14:30
    Permalink

    Eu vi isso claramente nos EUA, inclusive na primeira vez levei um susto, vi um preço na prateleira e no caixa vi que tinha mudado significativamente com o imposto incluso, mas eu sabia justamente o quanto estava pagando.

    Infelizmente eu acredito que isso não acontecerá no Brasil, pelo menos não por enquanto.

    Pro governo não seria bom, pois mostraria nitidamente quanto foi cobrado de imposto, imagina isso num carro? O quanto de imposto que tem sobre um carro, o consumidor não pode saber disso, conhecimento causa revolta…

    e pros comerciantes também não é interessante… eles podem colocar o preço que desejar, e na pior das hipóteses, colocar a culpa no governo, no preço do petróleo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *